Festas de fim de ano chegando, momento de cuidados redobrados com os pets

Piscamos e lá se foi mais um ano em velocidade impressionante. As festas de fim de ano já batem à porta, com casas mais coloridas e alegres e as pessoas se preparando para curtir após tempos difíceis de pandemia e perdas. Ao mesmo tempo em que contamos os dias para as comemorações de Natal e receptividade para 2022, devemos mais uma vez redobrar os cuidados com nossos pets.

Animais de estimação sofrem muito nessa época do ano e sempre é bom ficarmos atentos. Os felinos são curiosos e desconfiados. Assim como nossos cãezinhos adoram morder objetos coloridos, na visão deles, brinquedos. Então, fiquem alertas nos locais que vão deixar os enfeites de Natal. Engasgamento é recorrente nesta época do ano.

A montagem da decoração natalina ainda sugere outros riscos aos pets. Objetos pontiagudos podem ocasionar perfurações, assim como os fios de luzes sugerem perigo de choques elétricos e queimaduras aos animais ou mesmo um enforcamento caso se embolem com a fiação.

Melhor deixar a sempre linda árvore de Natal em um local mais alto. E com um olho atento, sobretudo, aos gatinhos. Eles não gostam muito do pisca-pisca, por exemplo, e podem “atacar” o adereço tradicional de Natal.

As comidinhas típicas e as bebidas não devem ser compartilhadas, tampouco esquecidas em locais de fácil acesso dos animais de estimação. Não larguem copos com bebidas alcoólicas por qualquer canto da casa. Além de ser considerado mau trato, ainda pode trazer problemas gástricos em caso de ingestão e até levar o bichinho ao coma. Intoxicação é outro problema recorrente da época. Alguns alimentos devem passar longe dos pets: panetones, maionese, chocolate, macadâmia, uvas passas… Nem ousem servir doces, eles são venenosos para os animais. Também evitem que degustem os ossos de aves.

Evitem soltar bombas, fogos e rojões. Cães têm audição avançada e são extremamente sensíveis, entrando em pânico por causa dos estampidos. E a reação pode ser de fuga. Sem controle, correm risco de acidentes e fraturas. Deixem-nos longes de lajes, escadas, sacadas ou janelas. Cercas e portões devem estar sempre fechados.

Minimizar o barulho é uma boa tática de proteção, seja com a utilização de algodão nos ouvidos ou mesmo um pano envolto nas orelhas. A queima de fogos na virada do ano é inevitável e cabe a nós, tutores, buscar a melhor maneira para diminuir o impacto negativo e de angústia nos pets. Existem músicas e essências para acalmar e ficar ao lado do amigo de quatro patas também serve para apaziguá-los e acalmá-los.

Uma boa artimanha é passear, fazer exercícios e brincar com os cachorros no começo do dia. Desta maneira, eles ficarão cansados e tendem a descansar na hora da queima de fogos. Sigam essas dicas e

tenham boas festas.