Restaurações e Próteses Dentárias

As restaurações com resina composta fotopolimerizável e as próteses dentárias, (sejam metálicas ou metalo-cerâmicas) em animais, visam recuperar parte ou integralmente a coroa de um dente, danificada normalmente por um trauma, resultando em uma fratura dentária.

É necessário muita habilidade, técnica precisa e trabalho de escultura artística para a obtenção de uma boa restauração com resina composta. Isto por que, este tipo de reconstrução coronária é feita com pequenas porções de uma “massinha” (resina composta) que são “coladas” (aderidas quimicamente) ao dente.

Os passos essenciais para uma boa restauração são:

  • Primeiro, prepara-se a cavidade a ser restaurada com a aplicação de um ácido (ortofosfórico 37%), que literalmente “abre os poros de dentina” (camada dentária localizada abaixo do esmalte, que normalmente é exposta em casos de fratura). Ou, causa uma microporosidade no esmalte (porção mais externa do dente).
  • Uma primeira camada adesiva líquida é então aplicada sobre a superfície já pronta do dente, penetrando nos poros da dentina e nas micro retenções do esmalte. Através de uma luz específica, esta primeira camada líquida de adesivo é endurecida.
  • Sequencialmente, camadas de resina composta (material mais denso) é aplicado sobre os dentes, em pequenos incrementos, sendo fotopolimerizados camada por camada, até a completa reconstrução da coroa.

Detalhes importantes como o tempo de aplicação do ácido, tempo de secagem do dente, tipos de adesivo utilizados e suas propriedades químicas, além da correta escolha de cores dentre a diversidade existente das resinas compostas, fazem toda a diferença nos trabalhos de restauração, tanto no seu resultado final, quanto na sua longevidade.

Outro fato a ser considerado em restaurações dentárias de cães e gatos é que grandes restaurações aumentam a susceptibilidade de novas fratura e, consequentemente, a perda da restauração. Isto porque, animais não possuem consciência do que podem ou não comer e quanto de força mastigatória pode ser atribuída sobre um dente restaurado.
Por isso, dependendo do dente e tipo de restauração, todo cuidado é pouco para evitar que o paciente tenha acesso à ossos ou mantenha hábitos de roer objetos muito duros.
Em geral, aconselha-se também restabelecer apenas o contorno e o formato do dente fraturado e não 100% do seu volume natural, pois quanto menor o volume de resina aderida ao dente, menos frágil ao descolamento será a restauração.

m_restaura_1 m_Restaura_2
À esquerda, fratura de canino superior em cão, apontada pelas setas. À direita, restauração da fratura dentária de um cão com resina composta da cor do dente.
m_restaura_3
Lesão sugestiva de cárie em segundo incisivo inferior direito de cão (seta). Preparo da cavidade com ácido e aplicação de adesivo (seta). Restauração completa do dente.

Já as próteses são restaurações confeccionadas em laboratório para recuperar grandes porções de coroa fraturada. Para sua realização, é necessário o preparo do remanescente coronal com brocas específicas para preparo de prótese, além de moldagem do dente preparado para enviar ao laboratório. Podem ser feitas próteses metálicas ou de metal recoberta com cerâmica, da cor do dente. Após sua confecção, a prótese é colada com cimentos específicos sobre o remanescente coronal.

IMG_5508