Odontologia Felina

Os gatos, por muito tempo, eram vistos como pequenos cães. Não só pelas suas diferenças anatômicas, mas também por diversas particularidades sistêmicas, os gatos hoje são tratados de uma forma totalmente particular. Assim também acontece na Odontologia Veterinária.

Doenças orais específicas dos gatos requerem tratamentos distintos daqueles realizados na cavidade oral dos cães.

PRINCIPAIS DOENÇAS ORAIS DOS GATOS:

DOENÇA PERIODONTAL
Os gatos, assim como os cães, desenvolvem com grande frequencia a doença periodontal (80% dos animais, segundo as estimativas). Isto ocorre, principalmente, pela falta de escovação dentária e cuidados domiciliares.

A infecção periodontal (causada por bactérias), leva à inflamação da gengiva e infecção do osso alveolar que sustenta as raízes dentárias (periodontite) culminando na perda do dente. Saiba mais sobre a doença periodontal.

Veja abaixo um caso de doença periodontal moderada em gato:

m_foto_perio_gato_antes m_foto_perio_gato_depois
À esquerda: Vista lateral da cavidade oral de um gato com presença de cálculo dentário (tártaro), gengivite. À direita, após o tratamento periodontal (raspagem supragengival, subgengival, radicular, polimento) e algumas extrações dentárias.

LESÃO DE REABSORÇÃO DENTÁRIA FELINA

São lesões causadas por uma reabsorção dos dentes, comumente em regiões próximas da gengiva. Quando superficiais, podem causar sensibilidade leve à moderada. Porém, quando atingem a polpa dentária, tornam-se extremamente dolorosas. Mesmo sob anestesia geral, alguns gatos podem sentir dor durante a exploração da lesão. Apenas as lesões estritamente radiculares podem ser assintomáticas, mas culminarão na perda do dente com o avançar da doença.

A estimativa da doença é de que, 70% dos gatos terão pelo menos 1 dente com a lesão durante toda a vida! Devido à alta prevalência, faça consultas regulares com um dentista para gatos para avaliar e tratar esta dolorosa afecção!

Como não se sabe exatamente a causa da doença, o tratamento atualmente consiste na extração do dente acometido, já que o processo de reabsorção não pára. Alguns tratamentos restauradores ou com laser foram testados sem sucesso.
Abaixo, um exemplo de lesão de reabsorção dentária em gatos:

m_foto_LR_antes_max m_foto_LR_antes_mand
À esquerda, dentes superiores do lado direito da boca de um gato, apresentando gengivite e acúmulo de cálculo (tártaro). À direita, dentes inferiores do lado direito; notar a intensa inflamação da gengiva no 3 pré-molar.
m_foto_LR_4PM m_foto_LR_PM m_foto_LR_final
À esquerda: ao remover o cálculo e afastar a gengiva, observa-se a cavidade na coroa do 4 pré-molar superior causada pela lesão de reabsorção dentária. Ao meio, nota-se a reabsorção dentária no 3 pré-molar inferior após afastar a gengiva. À direita, o caso finalizado, com o tratamento periodontal e as extrações dentárias.

COMPLEXO GENGIVITE ESTOMATITE FELINA

Esta doença é caracterizada pela presença de intensa inflamação da gengiva e mucosa, na cavidade oral dos gatos. Pode estar associada ou não à presença de cálculo dentário (tártaro).
São lesões extremamente dolorosas, fazendo com que o gato tenha muita dificuldade para se alimentar. Sinais como anorexia e desidratação são comuns.
A região posterior da boca e orofarige pode estar tão inflamadas que, muitas vezes, estão associadsa à áreas de hiperplasia (crescimento anormal de mucosa).

Muitas pesquisas são feitas atualmente para se descobrir as causa da doença. A presença do Calicivirus parece agravar os sintomas. Deve-se pesquisar também a associação de FIV e FeLV.

Em casos mais brandos, a intensa escovação dentária pode ajudar no controle da inflamação, associada à corticoideterapia e imunomoduladores. Porém, os melhores resultados são obtidos com a extração múltipla dos dentes, que DEVE SER FEITA POR PROFISSIONAIS EXPERIENTES E ESPECIALIZADOS EM ODONTOLOGIA VETERINÁRIA FELINA. Isto porque, todas as raízes precisam ser removidas, mesmo quando fraturadas, para evitar recidivas da inflamação.
A adaptação dos animais após a cirurgia, em geral, é muito boa e passam a se alimentar de ração úmida.

Importante ressaltar que existe uma pequena parcela de animais (20% dos casos) que não melhoram, mesmo após as múltiplas exodontias. Nota-se, nestes casos, uma boa melhora do quadro, com redução da inflamação e da dor; ou uma resposta tardia ao tratamento, levando alguns meses para a completa recuperação.

Veja abaixo um caso de Complexo gengivite estomatite felina:

m_foto_CGEF_antesD m_foto_CGEF_antesE m_foto_CGEF_oro
À esquerda: vista lateral da cavidade oral de um gato com intensa inflamação de gengiva e mucosa, associada à presença de cálculo dental. Ao meio: vista lateral esquerda com as mesmas características. À direita, vista da região caudal, mostrando intensa inflamação da mucosa e áreas de hiperplasia.
m_foto_CGEF_posD m_foto_CGEF_posE
Lado direito e esquerdo imediatamente após o tratamento de extrações dentárias de pré-molares e molares.
    m_foto_CGEF_finalD m_foto_CGEF_finalE
    Lado direito e esquerdo 2 meses após o tratamento de extrações dentárias.